Osga-comum (Tarentola mauritanica)

 

Hoje pela manhã quando abria uma portada da janela do meu quarto, reparo numa pequena Osga-comum (Tarentola mauritanica) que se abrigava numa reentrância da janela. Não é de estranhar pois com o tempo frio que tem feito estes pequenos répteis procuram abrigos de modo a melhor passarem o inverno. Em geral se os Invernos forem rigorosos acabam por hibernar, no entanto se não o for podem ficar activas durante todo o ano.

Este pequeno animal pelo seu tamanho terá poucos meses. Decerto terá nascido aqui por perto, pois sempre vejo umas osgas grandes a vaguear nas paredes do meu terraço, principalmente atrás dos vasos onde sempre encontrarão alimento.

Em tempos encontrei dois pequenos ovos de osga de cor branca, e o que é certo, é que nasceram mesmo, bem pequeninas mas muito afoitas, pois logo começaram a correr por ali. Desde miúdo me habituei a vê-las correr pelas paredes na rua da minha avó, principalmente nas noites de verão, quando atraídas pelos insectos que rondavam os candeeiros de rua atraídos estes pelo calor e a luz ali projectada.

Embora bem habituadas à vida urbana onde facilmente encontram abrigo e alimento, também as podemos encontrar no campo, longe dos humanos. À cerca de um mês dei com uma osga numa zona pedregosa perto de uma sitio onde gosto de ir na Ribeira-de-Eiras (Mação), num local que foquei num artigo anterior em soltei por lá um cágado-do-mediterrâneo.

A cor da osga pode variar um pouco mediante o habitat. As que encontro em zonas urbanas costumam de ser mais claras, esta que encontrei no campo é um pouco mais escura, as suas cores podem variar dos cinzentos, aos castanhas, até aos esverdeados.

Em miúdo não achava muita piada ás osgas, talvez pelo facto de por vezes quando as tentava agarrar largavam o rabo, que ficava a saltitar na minha frente. Mas afinal isto não passa de um meio de sobrevivência, e pelos visto este volta sempre a crescer. Olhando bem para este pequeno “sáurio” é um animal bem engraçado. Ora vejam a foto das suas patas… caricatas não? Tem 5 dedos, e se repararmos bem apresentam-se providos de pequenas lamelas que provocam um efeito de sucção, que lhes permite facilmente andar pelas paredes. Aliás esta é uma das característica que as diferencia da outra osga que podemos encontrar em Portugal a Osga-turca (Hemidactylus turcicus), esta apresenta as lamelas nos dedos divididas em pares, além disso a turca apresenta 5 unhas enquanto que na osga-comum só se notam no 3º e 4º dedo (confirmem na foto).

Bom depois de as estudar um pouco, tanto a que apanhei hoje como a que encontrei no campo, foram devolvidas ao seu habitat.

Não se esqueçam, apesar da sua aparência, para alguns nada agradável, a osga é um animal muito útil perto das nossas casas, pois são um excelente “insecticida biológico”. Aranhas, borboletas, baratas etc… fazem parte da sua ementa. Que tal começar a olhar para este réptil de outra forma?…

Abraço, e desculpem só ter publicado hoje, mas o tempo escasseia quando se tem de trabalhar 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s