Descendo ribeiras de Mação- parte 2

Descendo ribeiras de Mação- parte 2

Continuando a descer a Ribeira do Carvoeiro… as dificuldades do percurso davam-me escolhas, ora saltar para a água, ora subir pelos montes, caminhar embrenhado na vegetação ou subindo e descendo pelas fragas.

Dentro de uma pequena caverna encontro a casca de um bivalve que já há muito tempo não encontrava. Em miúdo apanhava-os no Rio Pônsul, perto de Idanha-a-Nova. Sempre os conheci por “anodontes” Anodonte anatina, este não é dos maiores que já vi, chegam a medir cerca de 15 cm.

No fundo deste vale e ao longo da ribeira as fragas continuam a surpreender pelas paisagens magníficas que proporcionam.

Na água eis que um ser emerge, um lagostim e este era dos grandes.

Tanta coisa para ver e tão pouco tempo, é o resultado de muita escolha, cada recanto tem o seu encanto, seja pela vegetação onde os fetos se abrigam nas zonas mais frescas.

E mesmo pela simplicidade de qualquer “pedaço de água”.

A relação à fauna, observo muito pouca, ouço por ali um Gaio Garrulus glandarius sempre mal dispostos com o seu grasnar. (risos)

Uma aranha por aqui… uma libelinha por ali… e por hoje fico por aqui.

Amanhã espero continuar a mostrar fotos e relatos do percurso.

Abraço

2 thoughts on “Descendo ribeiras de Mação- parte 2

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s