Entre Dois Concelhos (Parte 3)

Após chegar à ribeira, torna-se bem mais fácil avançar, pois sempre dá para andar no meio desta, isto sem molhar os pés pois a água não é muita permitindo ir saltando de pedra em pedra. No Inverno isto seria impossível pois o caudal deve aumentar bastante.

Na margem direita da ribeira a cerca de cinco metros da água reparo numa toca abandonada que creio ser de lontra.

No meio da vegetação ribeirinha uma planta destaca-se, por ali poucas plantas se vêem com flor, e esta fica então em vantagem face a tantas outras. Trata-se da salgueirinha Lythrum salicaria, uma planta autóctone e muito comum em zonas ribeirinhas, charcos, lagoas e outras zonas húmidas.

Atraída pelas flores da salgueirinha uma borboleta vai-se alimentando, e por consequência ajuda esta planta ao polinizá-la. Trata-se de uma Leptotes pirithous muito comum de norte a sul do país.

Aproveito antigas levadas de água para ir descendo a ribeira, em conversas com pessoas de mais idade fico a saber que por ali, no lado de Mação existiriam levadas de água dos tempos dos romanos, feitas com grandes telhas de cerca de um metro de comprimento e que estas levariam água do Vale-da-Abelha até aos balneários romanos em Vale-de-Junco na Ortiga, uma pena que esta herança romana não seja devidamente explorada e protegida no nosso concelho.

Um papa-moscas-cinzento Muscicapa striata observa-me do alto de uma árvore. Esta espécie não se reproduz no nosso país e apenas é observada quando em migração.

Seguindo pela antiga levada de água chego à velha azenha que tinha avistado lá do alto.

É fantástico como os homens que nos antecederam eram hábeis face aos materiais que dispunham para fazer determinados engenhos. Ora observem, nesta foto, onde a água entraria na azenha por este “tubo” revestido a barro…

No próximo artigo mostrarei um pouco deste recanto, onde velhas azenhas guardam vestígios de antigas vivências, e locais onde o granito foi sendo modificado quer pelo homem quer pela força dos agentes erosivos.

Abraço

2 thoughts on “Entre Dois Concelhos (Parte 3)

  1. Obrigado amigo pelas suas lindas ,explicidas e bem documentadas reportagens.Nota-se bem que é um grande amigo ,interessado e respeitador da Natureça!assim fossem todos e estariamos bem melhor em Portugal.Um abraço,José Santos

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.