Tritão-marmoreado-pigmeu

O tritão-marmoreado-pigmeu Triturus pygmaeus é um endemismo Ibérico. Ocorre no Sudoeste da Península-Ibérica. Em Portugal e se leram o meu último artigo, o tritão-marmoreado-pigmeu distribui-se na área onde não ocorre o tritão-marmoreado, ou seja, a Sul do rio Tejo e numa franja costeira mais ou menos até Aveiro.

São espécies muito parecidas, até ao ano 2001 este seria apenas uma subespécie do tritão-marmoreado, mas daí em diante ganhou o estatuto de espécie.

Embora bastante parecidos, ao prestarmos mais atenção podemos encontrar algumas diferenças… começando pelo tamanho, este não ultrapassa os 12 cm. Em relação à coloração, é idêntica à do tritão-marmoreado, no entanto as manchas escuras são menos contínuas, e apresenta um verde alface. A região dorsal é cinzenta pintalgada com manchas pretas.

As fêmeas têm uma linha vertebral alaranjada, nos machos esta linha tem interrupções escuras, na época reprodutiva o macho desenvolve uma crista tal como o seu parente tritão-marmoreado. Apresentam ainda uma linha longitudinal branca nos flancos da cauda.

Apresenta 4 dedos nas patas anteriores e 5 nos posteriores.

Em zonas de sobreposição das espécies podem ser encontrados híbridos, pelo que as dificuldades de identificação podem ser maiores!

Fica aqui alguma bibliografia que encontrei sobre estas espécies:

MARAVALHAS, Ernestino, SOARES, Albano (2017) – Anfíbios e Repteis de Portugal / Amphibians and Reptiles of Portugal. Booky Publisher.

ALMEIDA, N. F., ALMEIDA, P. F., GONÇALVES, Helena, SEQUEIRA, Fernando, TEIXEIRA, José, ALMEIDA, F. F. (2001) – Guia de Campo dos Anfíbios e Répteis de Portugal. FAPAS

CALDAS, Armando (2010) – Anfíbios de Portugal – Guia fotográfico Quercus. Quecus – Associação Nacional de Conservação da Natureza.

Claro que por toda a Web encontramos muita informação sobre este tema, no entanto a observação e vivências são muito importantes para o conhecimento, assim como conversas com outros amantes da natureza, tal como a que tive com o cientista Michel Henrotay. Foi após visitar uma exposição fotográfica do Michel, na qual observei fotos de tritões que fez com que eu saísse para o campo em busca destes.

Este é o meu quarto artigo relacionado, deixo aqui os restantes para leitura:

https://respiranatureza.com/2018/06/30/entre-tritoes/

https://respiranatureza.com/2018/07/08/conhece-o-tritao-marmoreado/

https://respiranatureza.com/2018/06/21/resgate-larvas-de-tritoes/

Grande abraço a todos os leitores!

Gady

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.