Uma ave sempre presente…

O melro Turdus merula, é uma das aves mais comuns e conhecidas no nosso país. Sobretudo o macho todo preto com o bico e a anel ocular cor de laranja. Esta espécie apresenta um vincado dimorfismo sexual, pois enquanto o macho tem uma coloração preta, a fêmea é acastanhada.

 

 

É uma ave de hábitos florestais, no entanto, vive em diferentes habitats. Desde florestas, hortas e jardins, zonas ripícolas entre outros. Não gosta de zonas muito desmatadas.

O seu comportamento em relação ao ser humano difere, as aves que vivem em jardins urbanos, ou em hortas habituam-se à presença humana. Já as aves que vivem em zonas mais selvagens são esquivas e desconfiadas…

O macho é reconhecido pelo seu canto de uma beleza extraordinária. Normalmente canta escondido, mas durante a época de reprodução podemos observá-lo a cantar empoleirado num local mais elevado.  Atrás da minha casa, um melro costuma empoleirar-se num ramo elevado de uma pereira. Se não for incomodado, fica lá a cantar tempos indefinidos. Quando se sente incomodado, ou vê um intruso no seu território, foge de forma barulhenta, emitindo sons de alarme.

Normalmente começa a fazer o ninho em Fevereiro.

 

 

Constrói-o em forma de taça a diferentes altitudes. Este estaria a cerca de 3 metros do solo no ramo de uma oliveira. Mas também já os encontrei, por exemplo, em silvados a cerca de meio metro do chão.

 

 

Os ovos são de cor azul, esverdeados com manchas acastanhadas, normalmente entre 3 e 5 ovos.

 

 

Este ninho que encontrei tinha apenas três. Durante uma época de reprodução que ocorre normalmente entre Março e Maio pode fazer três posturas. A incubação demora cerca de 15 dias. Mais 15 dias e as crias saem do ninho. Ambos os progenitores alimentam as crias.

É frequente vê-los no solo. Esgravatam, viram folhas e paus em busca dos mais variados vermes. Larvas, insectos, frutas e sementes fazem parte da sua variada ementa.

 

 

Voa a baixas altitudes e em curtas distâncias.

Pode ser confundido com o estorninho-preto Sturnus unicolor pelos menos atentos. Ora reparem nas diferenças… a cauda do melro é comprida e as patas são pretas, a sua coloração é opaca. Já o estorninho tem a cauda curta, as patas rosadas, e a coloração é de um preto brilhante. Existem outras diferenças, mas estas chegam para diferenciar ambas as espécies.

 

Boas observações!!!

Gady

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.